Sabe como tornar o setor da Construção mais circular?
Conheça a campanha “Quintas-feiras Circulares”

Até 2020, Portugal comprometeu-se, através do Plano de Ação para a Economia Circular (PAEC), a adotar conceitos como a reutilização, a reparação e a renovação de materiais e energia. Neste âmbito, o Portal da Construção Sustentável (PCS) e a Quercus desenvolveram uma campanha de sensibilização e educação que ajudará a colocar em prática estes conceitos no setor da construção, responsável, segundo o Conselho Internacional da Construção (CIB), pela extração de cerca de 75% de matérias primas da natureza e pela produção de cerca de 50% de todos os resíduos.

A cada quinta-feira, desde o dia 28 de Fevereiro de 2019, o PCS divulga em campanhas períodicas, curtas-metragens didáticas sobre possibilidades de reciclagem e/ou reutilização de materiais de construção em 2.ª mão, não deixando de abordar a “desconstrução de edifícios” em detrimento da simples demolição e encaminhamento para aterro dos resíduos gerados.

Veja aqui os episódios que já disponibilizados:

  1. REVESTIMENTOS ECOLÓGICOS E NATURAIS

2. MOBILIÁRIO URBANO RECICLADO

3.DIVISÓRIAS INTERIORES RECICLADAS

4. INCORPORAÇÃO DE BORRACHA RECICLADA EM PAVIMENTOS

5. O QUE É A DESCONSTRUÇÃO?

6.CAIXILHARIAS REUTILIZAVEIS E EFICIENTES

7. SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS NA CONSTRUÇÃO

8. ISOLAMENTOS ECOLÓGICOS E NATURAIS

9. RECICLAGEM DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

10. TRIAGEM DE RESÍDUOS EM OBRA

De acordo com o CIB, a indústria da construção é o setor de atividades humanas que mais consome recursos naturais e utiliza energia de forma intensiva, desde a produção dos materiais até a execução da obra e a sua operação ao longo da vida útil do edifício, gerando consideráveis impactes ambientais. O setor apropria-se de cerca de 75% de tudo que é extraído da natureza. Destes 75% apenas entre 25% a 50% são realmente utilizados, sendo que quase metade é desperdiçado, através da geração de resíduos. No fim de vida útil de um edifício, a sua demolição significa o envio de toneladas de resíduos para aterro.

“É por isso urgente acabar com a simples demolição de um edifício e passar ao seu desmantelamento passo a passo e à sua desconstrução seletiva, de forma a valorizar adequadamente os materiais retirados, promovendo a sua re-integração em novos usos”, alerta Aline Guerreiro, referindo-se à economia circular no setor da construção.

A economia circular possibilita a introdução de resíduos na produção de novos materiais ou na reutilização de materiais retirados de edifícios em fim de vida. Por isso, aplicada a este setor, não só diminuirá a necessidade de extração de novas matérias primas, como diminuirá a produção de resíduos abrindo a porta a um novo mercado: o de produção de materiais a partir de materiais existentes. Tratando-se de uma mais valia ambiental, social e económica.

O PCS esteve presente, no âmbito do Matchmaking sobre a Aplicação dos Princípios da Economia Circular inserido no Programa Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono, a convite da senhora Secretária Geral do Ambiente e da Transição Energética, DrªAlexandra Carvalho, a apresentar este trabalho para participantes nacionais e internacionais, ligados ao setor.

O PAEC – Plano de Ação para a Economia Circular é um modelo estratégico de crescimento e de investimento assente na eficiência e valorização dos recursos e na minimização dos impactes ambientais. Este é um documento que surge à luz dos compromissos internacionais de Portugal, como o Acordo de Paris, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a própria União Europeia.

Recent Posts

Start typing and press Enter to search